para encerrar as inscrições do Prêmio IPL- Retratos da Leitura 2019

PROJETO

Status atual: Publicado

Cadastro: (1810-0208-0488)

Projeto: LIVRE-SE CLUBE DE LEITURA

Organização responsável: . (./.)

Natureza do projeto: Formação de mediadores ou agentes de leitura, Promoção do acesso ao livro (feiras, blogs, sites etc), Criação / aperfeiçoamento de espaços da leitura/bibliotecas, Formação de leitores em geral e de leitores de literatura
Cadastrado em: 10/18
Atualizado em: 02/10/2018





O Clube de Leitura Livre-se foi organizado em maio de 2017 com o propósito de incentivar a leitura literária não obrigatória e fomentar a formação de leitores no Colégio Estadual Felipe Cassiano e na comunidade de Várzea do Poço-BA. A ideia era superar o lugar-comum do discurso de que "os jovens não gostam de ler", dando a eles a possibilidade do acesso ao livro, através de atividades em nossa biblioteca escolar: rodas de leitura, debates e diálogos em torno dos livros lidos e palestras.


Todas as atividades do projeto tem se desenvolvido em torno do princípio: "leitores que formam leitores". Desse modo, embora exista a presença de professores/mediadores, são os próprios jovens que assumem o lugar de protagonistas, sugerindo leituras, organizando e promovendo as atividades no Clube de Leitura. A cada encontro mensal do Livre-se, a escola abre suas portas para a comunidade tornando-se viva e relevante em suas ações que fomentam a formação de leitores literários.


O cenário que tínhamos na escola era: de um lado uma biblioteca fechada, livros amontoados e pouco atrativos para o público do ensino médio; de outro, jovens e adolescentes sem a possibilidade de acessar os livros, consequentemente, pouco ou nenhum interesse pela leitura. Assim, o Clube de Leitura Livre-se nasceu com objetivo de potencializar a formação de leitores e democratizar o acesso ao livro, contribuindo para que os jovens da escola e comunidade aproximem-se apropriem-se da literatura.


Buscando uma mudança na realidade da relação de nossos jovens com a leitura, traçamos os objetivos específicos do Clube de Leitura Livre-se, a saber: - Revitalizar e manter a biblioteca escolar em pleno funcionamento e aberta à comunidade externa; - Aumentar o número de alunos e jovens que leem na comunidade; - Renovar o acervo da biblioteca com títulos atrativos aos jovens; - Promover acesso ao livro; - Ressignificar o contato do jovem com a leitura literária (não escolarizada); - Formar leitores e mediadores de leitura; - Promover encontros mensais extracurriculares para dialogar sobre livros: palestras, bate-papos literários e rodas de leitura; -Participar/Promover Feiras literárias e distribuição de livros


Há um consenso generalizado de que "os jovens não gostam de ler", no entanto, em uma conversa com os estudantes de nossa escola, percebemos que isto não é verdade absoluta. Um dos maiores obstáculos para os jovens é, muitas vezes, o acesso limitado aos livros. Boa parte dos que hoje fazem parte do clube, jamais teriam acesso ao livro se não fosse por meio de nossa biblioteca, uma vez que em suas casas os livros são um objeto raro ou inexistente dadas as condições de suas famílias. Entendemos assim, que nosso projeto é antes de tudo social, ao contribuir para a inclusão de jovens outrora marginalizados, excluídos das práticas de leitura e do letramento literário.


O primeiro passo do projeto consistiu na sensibilização da direção da escola para a revitalização do espaço físico da biblioteca escolar. A ausência de um bibliotecário ou de um funcionário para cuidar da biblioteca era um obstáculo para seu funcionamento e por isso, encontrava-se fechada. O trabalho voluntário de professores e alunos resultou em uma nova sala de leitura pronta para receber escola e comunidade. A partir da reabertura da biblioteca, veio a etapa de provocar os alunos para experimentar a leitura numa perspectiva não escolarizada e não obrigatória. Incentivar o empréstimo de livros e a escolha livre dos títulos pelos alunos. Desde o primeiro mês de atividades do Clube, um pequeno grupo se reunia, fora dos horários de aula, para discutir as leituras realizadas pelos participantes. Éramos um grupo de 6 a 10 membros. Atualmente, nossos encontros mensais reúnem de 35 a 40 pessoas em média, e os eventos especiais, como lançamentos de livros e palestras, já reuniram mais de 120 participantes numa noite. Em dois anos de atividades, foram promovidos cerca de 20 encontros de promoção da leitura, entre palestras, rodas de leitura, debates, oficinas de produção de texto, leitura de filmes, além de recebermos alunos de outras escolas em nossa biblioteca para conhecer o projeto.


Principais inspirações ou referências teóricas e práticas



Vários autores nos servem de inspiração e de lastro teórico para nossas ações. De maneira especial, as experiências relatadas por João Wanderley Geraldi ainda na década de 90 em "O texto na sala de aula" que nos inspira com o circuito do livro. Além disso, as reflexões sobre o letramento literário em Paulino e Cosson (2009) e as pesquisas de Michèle Petit em "Os jovens e a leitura" (2009) nos impulsionaram a pensar a leitura literária enquanto construção de sentidos e especialmente, social que a leitura desempenha. Acreditamos, como afirma Petit que "Em certas condições a leitura pode abrir um campo de possibilidades, inclusive onde parecia não existir nenhuma margem de manobra".


Como mediadora de leitura do Clube, a necessidade de aperfeiçoamento e de conhecimentos específicos para esta tarefa, levou-me a buscar cursos de capacitação para desempenhar meu trabalho. Os cursos de capacitação EAD foram: "Infâncias e Leituras: a leitura como vínculo, prazer e aprendizado" promovido pela Fundação Itaú Social e Laborátório Emilia de Formação; "Encontros de leitura para boas conversas" promovido pela Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul.


Não recebemos consultoria ou assessoria técnica para o projeto.


Vários projetos nos servem de inspiração, um deles o Circuito do livro divulgado por João Wanderley Geraldi, ainda na década de 1990, inspirou este e outros projetos de leitura que já realizei e coordenei em experiências anteriores. A inspiração vem, antes de tudo, por defender a leitura como fruição, baseada no princípio do respeito pelo caminho do leitor e no circuito do livro, onde os alunos fazem escolhas livres de suas leituras, não provenientes de indicações autoritárias pelo professor.


As principais dificuldades para manter o projeto são a falta de recursos para melhoria do espaço físico da biblioteca e aquisição de acervo suficiente e adequado para a faixa etária do público-alvo atendido pelo projeto, majoritariamente adolescentes e jovens. As atividades acontecem sempre com parceria e voluntariado.


As dificuldades para quem trabalha na promoção do livro e da leitura no Brasil sempre vão existir. No caso das bibliotecas escolares esse problema se intensifica pela ausência de políticas públicas de distribuição de livros. As escolas não recebiam livros literários desde 2013, último ano do PNBE. A falta de recursos para aquisição de novos livros vai sendo driblada com a doação por parte de pessoas que conhecem o projeto e no investimento pessoal que fazemos para que o projeto não pare.


A relevância de nosso trabalho foi reconhecida pela Secretaria de Educação do Estado da Bahia em 2018, publicando nossa experiência exitosa no jornal do CONSED e no site da SEC-BA (http://municipios.educacao.ba.gov.br/noticias/comunidade-escolar-de-varzea-do-poco-comemora-um-ano-do-clube-de-leitura). Ainda em 2018, participamos de duas Feiras Literárias de grande porte no estado: a Feira Literária de Mucugê (FLIGÊ) e a Feira Literária Internacional de Cachoeira (FLICA), ministrando oficinas.


Não.


Nosso projeto funciona com serviço voluntário e conta com a parceria de professores, escritores, pessoas da comunidade que auxiliam o desenvolvimento das atividades: palestras, debates literários, mesas-redondas,etc. O acervo da biblioteca tem sido renovado através de doações em campanhas de arrecadação de livros na comunidade e cidades vizinhas. Não temos empresas parceiras ou patrocinadores.


Todas as nossas atividades desde o primeiro encontro até este momento, estão registradas em nosso perfil no instagram no @livre_se_clube





05/06/2017


Sim, o Projeto acontece atualmente


Brasil - Região Nordeste - BA - Várzea do Poço


estudantes, comunidade em geral, crianças, adolescentes/jovens, educadores (professores, coordenadores, diretores, etc)


6 a 12 anos, 13 a 17 anos, 18 a 59 anos


feminino, masculino

Número de pessoas atendidas


470


200


150


120


35


Os números são aproximados (levando em conta a quantidade de encontros realizados e a média de público presente). A maioria dos encontros literários acontecem na escola e tem como público-alvo os alunos, ex-alunos e suas famílias, funcionários, professores e pessoas da comunidade externa.

Equipe


1


4


0


0


12


1


0



Informe se o projeto conta somente com recursos próprios (100%) e/ou se conta com patrocínios ou outros apoios financeiros. Se possível, informe (entre parênteses) como esses recursos se distribuem percentualmente para custear o projeto

100


0


0


0



Quais organizações e/ou instituições são parceiras e como apoiam o projeto


Notice: Undefined variable: script in /home/plataformadolivro.com.br/public/projeto-exibe.php on line 461