Notícias
< voltar

Relato de experiência da Embaixadora da Leitura.

29/02/2020

Relato de experiência da Embaixadora da Leitura.
Leia a história de amor que Fernanda Araújo, nossa Embaixadora da Leitura tem com os livros. Ela conta em um relato emocionante como se tornou uma leitora voraz a partir dos gibis da Turma da Mônica. Desde então, traçou uma trajetória de vida marcada pelos livros. Conheça!

Foto: Fernanda Araújo na cerimônia do Prêmio IPL 2020, quando recebeu o título de Embaixadora da Leitura por seu trabalho de divulgação da premiação nas redes sociais

 

Olá! Tudo bem com você?

Meu nome é Fernanda Marília Carolina Araújo, Fernanda Araújo para simplificar. Sou maranhense, tenho 32 anos e sou a atual embaixadora do Prêmio IPL.

O relato de hoje é sobre uma paixão antiga que me acompanha desde a infância: a leitura.

Comecei a ler aos cinco anos de idade, mas me lembro que desde os três recebia vários exemplares da Turma da Mônica para leitura (que era feita pela minha tia e patrocinada pela minha mãe que por anos manteve as assinaturas das revistas).

Eu olhava aquelas imagens e ficava fascinada, porém, desde pequena já queria ser independente e algo que me deixava agoniada era a leitura, por depender de alguém para entender o que as letras diziam.

Assim, sempre que minha tia terminava a leitura, eu ficava com o exemplar, tentando ler, mesmo com a dificuldade inicial.

O tempo foi passando e quando completei os cinco anos de idade, consegui ler sozinha as revistas.

Lembro que foi uma das maiores emoções daquela época: consegui sozinha ler e não precisava de mais ninguém para isso.

Desde então havia marcado o dia que o carteiro passava entregando as revistas e quando recebia o pacote corria para ler. Lia tudo em um dia só e depois "liberava" as revistas para todo mundo.

Por conta dessa paixão, acumulei várias revistas em quadrinhos que logo foram doadas para outras crianças.

Engraçado que nunca fui uma criança que gostasse de bonecas, mas adorava as HQ's, livros, quebra-cabeças, bola, pipa, queimado etc.

Sei hoje que fui privilegiada, pois minha família sempre incentivou a leitura desde cedo e isso fez com que o meu desempenho pessoal e profissional fosse bem maior.

Se hoje sou quem sou foi pelo incentivo e apoio da minha família e pelo incentivo à leitura desde cedo.

Por isso, se você que está lendo esse texto ficou tocado em algum momento, incentive hoje alguém da sua família a encontrar o livro do coração, esse gesto ajudará e muito no futuro.

A leitura desenvolve o ser humano de forma interna e externa, conecta pessoas e engrandece as nossas ações.

Ler criticamente é libertador. Leia você também!



Você também pode gostar